Notícias

Novo tratamento reduz em até 37% dores em pacientes com enxaqueca crônica

Fonte: Revista VEJA

Texto A+ A-

 
Foto: ThinkStock

Foto: ThinkStock

Uma pesquisa que utilizou estimulação elétrica do cérebro para tratar pacientes com enxaqueca crônica mostrou que os sintomas do problema foram significativamente atenuados após quatro semanas de tratamento.

O método foi direcionado ao córtex motor, uma região do cérebro relacionada às atividades motoras voluntárias. O estudo foi conduzido por pesquisadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, coordenados pelo brasileiro Alexandre DaSilva, e publicado na edição desta semana do periódico Headache: The Journal of Head and Face Pain.

Trabalhos anteriores já haviam demonstrado que a estimulação do córtex motor pode reduzir a dor provocada pela enxaqueca crônica. Porém, esse novo estudo é o primeiro a mostrar que a estimulação transcraniana por corrente contínua (ETCC), um método não invasivo que estimula o cérebro e é usado para que os especialistas analisem aspectos cognitivos da mente humana, pode ajudar casos de pacientes que passam pelo problema há muitos anos e são resistentes aos tratamentos convencionais.

A pesquisa — A equipe selecionou 13 pacientes com enxaqueca crônica, ou seja, que apresentavam ao menos 15 crises ao mês, e que sofriam do problema havia pelo menos trinta anos. Eles passaram por sessões de vinte minutos de ETCC.

Após dez sessões, que foram feitas ao longo de quatro semanas, os pacientes apresentaram uma diminuição de 37% na intensidade das dores. Segundo o coordenador do estudo, Alexandre DaSilva, os efeitos do tratamento foram acumulativos, sugerindo que sessões repetidas são necessárias para reverter as alterações no cérebro causadas pela enxaqueca crônica.

"A publicação foi um estudo preliminar, por isso o número ainda pequeno de participantes. Porém os resultados foram estatisticamente significantes", disse DaSilva, em entrevista do site de VEJA.

Comprovada a eficácia no tratamento de pacientes com enxaqueca crônica, os pesquisadores buscaram entender de que maneira ela age em diferentes áreas do cérebro. Para isso, acompanharam, com a ajuda de eletrodos, o fluxo de corrente elétrica cerebral durante a aplicação do método.

A equipe observou que a estimulação não só atingiu as áreas mais superficiais do córtex, o que já era esperado, mas também afetou regiões mais profundas do cérebro relacionadas à dor.

"Descobrimos que a dor associada às regiões mais profundas do cérebro pode também ser alvo dessa nova abordagem", afirmou DaSilva. De acordo com o pesquisador, embora os resultados do estudo sejam animadores, há um longo caminho até a aplicação clínica desse tratamento.

"Com mais pesquisas, a ETCC pode se tornar, no futuro, uma terapia adicional para a enxaqueca crônica e outros problemas de dor crônica", disse.

 

 

 

 

publicado em 23/04/2012 às 15h06

Veja mais

 
 
 
 

Receba novidades

Cadastre seu e-mail e receba novidades sobre a Vita Care

Últimas notícias

Dieta mediterrânea reduz em 30% risco de doença cardíaca

Despeje um pouco de azeite de oliva, de preferência...

Segundo estudo, Ômega-3 protege o sistema imunológico contra os danos da luz solar

Segundo pesquisadores da Universidade de Manchester, na...

Proporcionamos aos idodos uma dieta adequada e todos os programas que promovam e mantenham a autonomia do idoso, além da criação de um ambiente adequado e seguro para o idoso dependente.

Copyright - 2020 Vitacare Todos os direitos reservados