Dicas Sobre Saúde

Saiba como cuidar das unhas e a indentificar doenças

Texto A+ A-

 
Esmalte, acetonas e sapatos podem fazer mal para as unhas Foto: Getty Images

Esmalte, acetonas e sapatos podem fazer mal para as unhas Foto: Getty Images

As unhas não demonstram apenas asseio e cuidado com a aparência. São também um reflexo da saúde geral do organismo. Mudanças no formato, força ou cor podem indicar doenças que merecem atenção.

Clique na aba e confira dicas de cuidados gerais, como identificar os problemas mais comuns e como tratá-los com informações do médico Joaquim Mesquita Filho, diretor da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e chefe do setor de cirurgia dermatológica do Instituto de Dermatologia Prof. Azulay, da Santa Casa da Misericórdia, no Rio de Janeiro.

As unhas são lâminas de queratina que recobrem a última falange dos dedos, protegendo-os de atritos externos.

Também aumentam a capacidade das mãos de pegar pequenos objetos, chamado de manipulação fina.


Além do aspecto estético, que também inclui cuidados com a higiene e beleza, elas podem revelar o estado de saúde de uma pessoa.


Manchas esbranquiçadas sinalizam carências de vitaminas, sais minerais e outros nutrientes.


Problemas mais simples podem ser resolvidos por um podólogo, especialmente quando se refere a cortar as unhas de forma mais adequada e aos processos básicos de limpeza.


O diagnóstico de doenças, indicação de tratamentos orais ou tópicos, e realização de procedimentos cirúrgicos, que envolvem uso de bisturis e laser, devem ser sempre realizados prioritariamente por médicos dermatologistas, para garantir a segurança do paciente.


Unhas devem ser sempre mantidas limpas e bem aparadas. O ideal é que o corte seja mantido no formato levemente oval ou reto, para evitar encravamento ou descamação.


No caso das mulheres, é importante deixar as unhas sem esmalte ao menos uma semana por mês, para que possam respirar. Caso ocorra dermatite de contato, o uso do esmalte deve ser interrompido.


A acetona é outro agente a ser evitado, pois pode danificar a superfície da unha, tornando-a mais frágil e quebradiça. As cutículas não deveriam ser inteiramente removidas, pois constituem uma barreira protetora contra fungos e bactérias.


Unhas esbranquiçadas, ocas e grossas são resultado da ação de fungos e o tratamento pode ser feito com a aplicação de produtos tópicos ou via oral.


A unha encravada ocorre quando uma das pontas "penetra" na pele ao seu redor durante o crescimento. O processo decorre de um aumento na pressão sobre a unha ou suas pregas, causado, principalmente, pelo ato de cortá-las de forma errada ou usar sapatos apertados ou pontiagudos. O encravamento se caracteriza pela inflamação e vermelhidão dos cantos das unhas que podem, até mesmo, formar um tecido inflamando que secreta pus e provocar dores com intensidade variada.


A unha encravada pode ser classificada em Grau I (só há queixa de dor); Grau II (além da dor, há uma secreção sanguínea ou seropurulenta) e Grau III (dor, secreção e hipertrofia da área acometida).


Casos mais leves de unha encravada (Grau I) podem se tratados com antibióticos ou anti-inflamatórios tópicos, colocação de algodão entre a unha e a borda lateral e uso de órteses acrílicas.


Nos casos mais graves (Graus II e III), são indicadas cirurgias que retiram a parte da unha encravada e o tecido inflamado. Estas cirurgias só devem ser realizadas por médicos.


Para prevenir a unha encravada, recomenda-se evitar sapatos apertados, arredondar a borda das unhas ao aparar e evitar cortar em excesso


As mudanças na forma da unha podem ocorrer devido a fatores hereditários, uso de sapatos apertados ou inadequados ou serem decorrências de doenças ou uso de medicamentos.


O aumento da curvatura é conhecido como unha em telha. O tratamento é feito com a colocação de lâminas flexíveis que fazem pressão sobre a placa e diminuem a curvatura, ou com a cirurgia.


O aumento da curvatura em direção à ponta é conhecido como unha em pinça e as bordas apertam os tecidos nas laterais. O tratamento é semelhante ao da unha em telha, mas há casos que pedem cirurgia.


Os traumas sofridos na região da unha, decorrente da queda de um objeto ou de batidas, provocam dor severa, mas geralmente não pedem tratamentos.


Verrugas podem aparecer nos tecidos ao redor das unhas e são tumores benignos causados por infecção pelo HPV. São tratadas com ácidos tópicos, quimioterapia, crioterapia e imunoterapia.




Fonte: Portal Terra

 

publicado em 04/07/2011 às 14h53

Veja mais

 
 
 
 

Receba novidades

Cadastre seu e-mail e receba novidades sobre a Vita Care

Últimas notícias

Dieta mediterrânea reduz em 30% risco de doença cardíaca

Despeje um pouco de azeite de oliva, de preferência...

Segundo estudo, Ômega-3 protege o sistema imunológico contra os danos da luz solar

Segundo pesquisadores da Universidade de Manchester, na...

Proporcionamos aos idodos uma dieta adequada e todos os programas que promovam e mantenham a autonomia do idoso, além da criação de um ambiente adequado e seguro para o idoso dependente.

Copyright - 2020 Vitacare Todos os direitos reservados