Dicas Sobre Saúde

Conheça alguns comportamentos que influenciam na longevidade

Texto A+ A-

 
Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Nunca é tarde para adotar um estilo de vida saudável: a idade avançada não é desculpa para abandonar os bons hábitos. Um estudo de 2012 mostrou que a combinação de exercícios físicos, alimentação correta e o abandono de vícios como o cigarro pode ajudar pessoas com mais de 75 anos a viver, em média, 5,4 anos a mais do que os menos saudáveis.

Exercícios realmente funcionam: não há nada de novo no fato de que os exercícios físicos ajudam a viver mais. Mas um estudo recente mostrou de forma mais evidente o quão poderosa uma atividade regular pode ser. Mulheres negras, particularmente, parecem se beneficiar ainda mais dos exercícios físicos regulares. A pesquisa, publicada pelo HuffPost Black Voices, mostrou que cada hora de exercício como corrida ou natação que  uma mulher negra pratica aumenta em cerca de 11 horas o seu tempo de vida.

Cozinhar em casa: uma pesquisa feita com moradores de Taiwan com mais de 65 anos mostrou que aqueles que cozinham mais do que cinco vezes por semana são 47% mais propensos a se manterem vivos nos próximos 10 anos. Existem algumas limitações, afinal, algumas pessoas nessa faixa etária não estão aptas a cozinhar especialmente por problemas de saúde. Ainda assim, os pesquisadores descobriram que existe algo em torno do ato de cozinhar em casa com maior frequência que pode estender os anos de vida.

Rir mais: como parte de um estudo contínuo de genes e envelhecimento, pesquisadores descobriram este ano que certos traços de personalidade parecem estar associados com uma vida mais longa, incluindo a propensão às gargalhadas.

Ver o lado positivo das coisas: no mesmo estudo sobre envelhecimento, o otimismo também foi relacionado à vida longa. Os 243 indivíduos com mais de 95 anos eram extrovertidos, otimistas e descontraídos. Eles consideravam o riso como uma parte importante da vida e tinham uma grande rede social. Expressavam suas emoções abertamente ao invés de dificultá-las, observou o pesquisador Nir Barzilai, diretor do Einsteins Institute for Aging  Research.

Suplementos podem ajudar: adultos com idade entre 60 e 70 anos estão 9% menos propensos a morrer em um período de três anos quando acrescentam à dieta suplementos de vitamina D com cálcio, quando comparados com idosos que não têm esse hábito. Outros alimentos e nutrientes têm sido relacionados à longevidade, incluindo o ômega-3 e certos antioxidantes.

Sabemos de tudo isso mas dificilmente cumprimos: os comportamentos mais importantes para uma vida longa e saudável não são secretos são coisas como não fumar, exercitar-se, manter um peso saudável e controlar a pressão sanguínea e o colesterol. De fato, muitas pessoas já estão cansadas de ouvir este tipo de conselho. Mas apenas pouco mais de 1% dos americanos adultos seguem estas diretrizes, de acordo com um estudo realizado em 2012. Já os que seguem estes critérios à risca desfrutam de 51% de diminuição do risco de morte por qualquer causa.

 

Fonte: Portal TERRA

 

publicado em 18/12/2012 às 10h38

Veja mais

 
 
 
 

Receba novidades

Cadastre seu e-mail e receba novidades sobre a Vita Care

Últimas notícias

Dieta mediterrânea reduz em 30% risco de doença cardíaca

Despeje um pouco de azeite de oliva, de preferência...

Segundo estudo, Ômega-3 protege o sistema imunológico contra os danos da luz solar

Segundo pesquisadores da Universidade de Manchester, na...

Proporcionamos aos idodos uma dieta adequada e todos os programas que promovam e mantenham a autonomia do idoso, além da criação de um ambiente adequado e seguro para o idoso dependente.

Copyright - 2020 Vitacare Todos os direitos reservados